Oficinas


Estas foram as oficinas realizadas na 1° Edição da Mostra do Filme Marginal. A participação nas mesmas se deu através de contribuição consciente.

Oficina de Videodancer com Michel Schettert

Cinema, Dança e Improvisação. As técnicas do Videodancer são direcionadas para o uso da câmera na mão, unindo a lógica coreográfica aos processos de filmagem. Tratam-se de artifícios para cercar cenas com alto grau de improvisação, como registro de performance e cinema de invenção.

Michel Schettert nasceu em Belém do Pará e vive no Rio de Janeiro. Tem graduação sanduíche em Études Cinématographiques pela Université Lille III / UFRJ. Especializou-se em Artes Visuais no Parque Lage. Faz mestrado profissional em Criação e Produção de Conteúdos Digitais na UFRJ e compõe o Núcleo de Estudos em Narrativas Visuais e Transmídias (NAvT). Pesquisa Cinema e Ritmo. Ministra a disciplina “Videodança – edição como coreografia” na graduação da ECO, como estágio de docência.

Em 2016, exibiu filme do CineDans Festival (Amsterdam) e este ano participou do Festival VideodanzaBA (Buenos Aires) como artista residente. Coopera com o Espaço MOVA (RJ) e Espaço Lua Branca (MG).

Treinando o olhar – Oficina de Vídeos para Celular 

Práticas sobre como desenvolver filmes com celular, a oficina será dividida em duas partes: a primeira parte será teórica e a outra será prática. Exibição dos vídeos realizados e debate sobre os mesmos.

Ministrada por Coletivo Kbça D’ Nêga – Coletivo de criações artísticas, sobretudo criações audiovisuais com foco para o LGBTT e a mulher negra a partir das REAÇÕES das violências irradiadas diariamente nos corpos das centelhas que compõem este coletivo como: opressões de gênero, raça, intolerância religiosa e características corporais desviantes.

Curso Básico de Fotografia com Rafael Daguerre

Rafael Daguerre é um fotojornalista que tem por objetivo, em seu trabalho fotográfico, a comunicação social e o jornalismo independente. Conta com participação em documentários fotográficos e audiovisuais. Trabalhou em projetos sobre a causa indígena, racismo, opressão de gênero, a luta das mulheres, violência policial, a resistência popular e tantos outros.

Atualmente fotografa para a mídia independente Mídia1508, a qual também é um dos membros fundadores. Ferramenta de comunicação que trabalha com a contra-informação e a propaganda popular revolucionária.

Participou de projetos como: ‘Samba na Raiz’ 2010; ‘Imagem&Mulher em Foco’ (2010/2011); ‘Registro e Diálogos: Tecendo a Igualdade’ (2011); ‘O Retorno da Arara Amarela’ (2011); ‘Vale do Paraíba: Escravidão e Café’ (2012); ‘Marakà’ná’ (2014); Olhares Reabertos, professor (2014), entre outros. Recentemente produziu dois curtas-metragens: ‘Boca do Mato’ e ‘Favela que não luta é senzala’.

Aula Magna de Cinema Negro com Rosa Miranda

Aula magna sobre o cinema negro nacional com enfase no gênero e raça com base na pesquisa realizada por Rosa Miranda durante o período de graduação em licenciatura em Cinema e Audivisual pela Universidade Federal Fluminense. Uma releitura da História do Cinema Brasileiro pela ótica da população negra. Exibição de curtas de diretoras e diretores negros brasileiros.

Rosa Miranda é Licenciada em Cinema e Audiovisual pela Universidade Federal Fluminense, fundadora do Coletivo Kbça D’ Nêga, realizadora de audiovisual, professora e membro do Coletivo Aningapara, pesquisadora sobre gênero, raça no cinema nacional contemporâneo, participante do Fórum Itinerante de Cinema Negro (FICINE) coordenado pela Doutora Janaína Oliveira.