18 de Janeiro

PROGRAMAÇÃO - 17 DE JANEIRO

LOCAL: Aldeia Mãe Terra.

17:00. PANORAMA INDÍGENA I

1. Quentura.
Documentário, 36 Min, Amazônia (Terras Indígenas no Acre e Amazonas), 2018, Livre. Direção: Mari Corrêa.

Sinopse: Muito quente! As piracemas não vêm na época certa e as pimenteiras acabam morrendo com tanta quentura. “É um tempo muito diferente, que nem os espíritos estão conseguindo entender”.

De suas roças, casas e quintais, as mulheres indígenas da Amazônia nos envolvem em seu vasto universo de conhecimentos ao mesmo tempo em que observam os impactos das mudanças climáticas nos seus modos de vida.

2. Em Bora - Além das Margens Amazônicas.
Documentário, 8 Min, Pebas/Peru, 2018, Livre. Direção: Leonardo Carrato.

Sinopse: O projeto de 4 anos é uma história multimídia sobre um homem que se opõe à dizimação de uma cultura milenar. A abordagem é como se estivéssemos em sua mente, sentindo as mudanças psicológicas nessa jornada metafórica sobre a espiritualidade da Amazônia e uma batalha de um xamã não para ser como todo o resto do mundo.

CLASSIFICAÇÃO – LIVRE

 

19:00 - PANORAMA INDÍGENA II

1. Nakua pewerewerekae jawabelia.
Experimental, 16 Min, Puerto Gaitán/Colômbia, 2018, Livre. Realização: Margarita Rodriguez Weweli-Lukana e Juma Gitirana Tapuya Marruá.

Sinopse: Vídeo experimental, parte do projeto UNID@S CONTRA LA COLONIZACIÓN: MUCHOS OJOS, UN SOLO CORAZÓN, que mescla as linguagens do documentário e ficção além de três idiomas: sikuani, espanhol e português. Realizado a partir do encontro de diferenças entre a cabilda gobernadora Margarita Rodriguez Weweli-Lukana do Resguardo Sikuani El Merey-La Veradita e da alieníndia urbana, em processo de retomada cultural, Juma Gitirana Tapuya Marruá, oriundas das regiões que passaram, depois da Colonização, a se chamar, respectivamente, Colômbia e Brasil. Este vídeo foi uma tentativa ritual de sanação das dores coloniais, dessas feridas abertas que ainda nos doem a tod@s, humanos y não-humanos: naturezas de Abya Yala.

2. Laklãnõ/Xokleng: os órfãos do Vale.
Documentário, 31 Min, Florianópolis/SC e Terra Indígena Ibirama Laklãnõ, 2018, 12 anos. Direção: Andressa Santa Cruz e Clara Comandolli.

Sinopse: "Laklãnõ/Xokleng: os órfãos do Vale" é um vídeo documentário que resgata a história da população indígena Laklãnõ/Xokleng, no Vale do Itajaí, em Santa Catarina, relacionando a chegada dos imigrantes europeus em seu território, na metade do século XIX, com as condições atuais. Por perceber a tradição da história oral como forma de reafirmação e preservação dos Laklãnõ/Xokleng, a narrativa baseia-se principalmente no depoimentos de indígenas e se divide em três momentos: (1) a chegada dos imigrantes e o genocídio indígena consequente; (2) a violência e desapropriação de territórios tradicionalmente indígenas, com o alagamento de aldeias após construção da Barragem Norte; e (3) o cenário atual de ameaça aos direitos humanos dos Laklãnõ/Xokleng, como a não homologação da Terra Indígena Ibirama-Laklãnõ, aguardada desde 2003, e o assassinato do líder indígena Marcondes Namblá, em janeiro de 2018.

CLASSIFICAÇÃO – 12 ANOS