Tortura Nunca Mais

PROGRAMAÇÃO 16 DE SETEMBRO

LOCAL: Associação Scholem Aleichem.
Rua São Clemente, 155 - Botafogo.

18:30. SESSÃO MARGINAL III - CINEMA E DITADURA.

1. Um Café e Quatro Segundos.
Ficção, 16 min, Rio de Janeiro/RJ, 2018, 16 anos. Direção: Cristiano Requião. 

Sinopse: Dois torturadores se encontram para tomar um café depois de mais de trinta anos sem se verem, para acertarem contas daquela época.

2. Codinome Breno.
Documentário, 20 min, Natal/RN, 2018, 10 anos. Direção: Manoel Batista.

Sinopse: A memória possui gavetas que escondem partes do nosso passado, mas o medo e a saudade nos impedem de acessá-las. Para reconstruir o mosaico de memórias familiares, Manoel busca através da origem do nome de seu irmão, dos objetos de família e dos relatos dos amigos mais próximos as peças que faltam nesse quebra-cabeça. A busca por esse nome termina por descortinar passagens da ditadura militar no Brasil.

3. Maraká’nà.
Documentário, 21 min, Rio de Janeiro/RJ, 2019, 16 anos. Realização: Grupo Popular Pesquisa em Ação.

Sinopse: O estádio do Maracanã não é apenas um espaço de lazer, mas, acima de tudo, um espaço de luta. Neste documentário, o Grupo Popular Pesquisa em Ação explora a luta pela educação, pela moradia, pelos direitos indígenas, contra o desenvolvimento do capital. Esta é uma história semelhante a muitas lutas em todo o Brasil, contra os megaeventos e o modelo de desenvolvimento imposto de cima. Este vídeo narra os eventos usando testemunhos dos protagonistas e imagens históricas. O principal objetivo deste projeto é analisar as práticas de resistência desenvolvidas contra a Copa do Mundo de 2014, no Rio de Janeiro. Essa análise é contextualizada com a coleta de depoimentos históricos cruciais, relatos de toda a violência e abusos que ocorrem devido à Copa do Mundo de 2014. O vídeo está geograficamente centrado na área do estádio do Maracanã, uma das áreas onde as contradições do modelo de desenvolvimento caracterizado pelo estado de exceção veio à tona e surgiram diversas estratégias de resistência. Ao redor do estádio do Maracanã, levantaram-se diferentes lutas: aquele do movimento social Não Vai ter Copa, a resistencia indigena da Aldeia Marakana, a lutas contra a remoção da Favela do Metrô Mangueira e da escola Municipal Friedenreich.

4. D'ladin.
Documentario, 04 min, Recife/PE, 2018, Livre. Direção: Yane Mendes.

Sinopse: Registro de um ato na cidade de Recife, onde os personagens entrevistados são pessoas que não estavam acompanhando o ato mais são pessoas que vivenciam as temáticas no seu cotidiano, uma parcela da sociedade que não é enxergado nem por direita nem por esquerda, mais a parcela que faz a cidade se movimentar realmente.

5. Brasil 2020.
Drama, 07 min, Zona Autônoma de Kanibaru, 2019, Livre. Direção: Petter Baiestorf.

Sinopse: O Brasil é governado por uma crentecracia militar em aliança com a grande indústria do Agronegócio e a indústria Armamentista. O livre pensar se tornou uma grande barreira ao governo brasileiro. Anarquistas, professores, artistas, pequenos agricultores orgânicos, editores independentes e livres pensadores se tornaram as novas Bruxas do Século XXI e são os principais alvos dessa cruzada contra a sabedoria.

CLASSIFICAÇÃO – 16 ANOS